Entre em contato e 

Tel.: 

E-mail: 

Momento Empresarial da Acisbs destaca a geração de novos negócios

  Na manhã da última quinta-feira (16), a Associação Empresarial de São Bento do Sul (Acisbs) promoveu mais uma edição do Momento Empresarial, encontro que reúne lideranças da cidade. O evento contou com a participação de 19 empresas. Essa última edição destacou a geração de novos negócios, com o objetivo de aumentar a rede de contatos, prospectar parcerias e aproximar clientes.   Os empresários apresentaram seus principais produtos e serviços e após as explanações trocaram informações, detalhes, objetivos e desafios para os próximos meses.   Adelino Denk, fundador da AMC e presidente da Fetep (Fundação de Ensino, Tecnologia e Pesquisa), falou sobre os desafios da região de São Bento do Sul e da gestão estratégica de empresas para os próximos ciclos econômicos.   O próximo Momento Empresarial acontece no dia 18 de agosto. _______   Adelino Denk também participou da Semana dos Núcleos da Associação Empresarial de Rio Negrinho (Acirne), iniciada na segunda-feira (13). A entidade promoveu três eventos focados na geração de novos negócios. A Semana contou com a participação de 170 empresas.   Negócios foram debatidos entre o Núcleo de Jovens Empresários e Mulheres Empreendedoras, o Núcleo de Turismo e o Núcleo de Meio Ambiente, de Automecânicas e da Cooperativa de Crédito SCRCRED.   Para maiores informações, acesse:   http://www.acisbs.org.br/sala-de-imprensa/visualizar-noticia/id/2164/Geracao+de+negocios+em+mais+um+Momento+Empresarial.html#paginas  ...

Leia mais

Adelino Denk é o novo presidente da FETEP

fetep 1

Na última quarta-feira, dia 01/05, Adelino Denk, fundador da AMC Assessoria Empresarial, foi reconduzido à presidência da FETEP (Fundação de Ensino, Tecnologia e Pesquisa), braço da Associação Empresarial de São Bento do Sul para o desenvolvimento de projetos e parcerias para a cidade e o norte do Estado. Estiveram presentes na posse o novo presidente da ACISBS, Mário Nenevê, e o vice-presidente da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Jonny Zulauf.   “Agradecemos as parcerias, os convênios conquistados e os investimentos realizados. A nossa proposta é intensificar ações referente ao escritório de projetos, as parcerias regionais, e profissionalizar cada vez mais a gestão da Incubadora Tecnológica. São Bento do Sul hoje é modelo para o Estado no que se refere a tecnologia e isso foi conquistado com esforço de todos e trabalho árduo que iremos com certeza continuar”, disse Adelino.   A FETEP surgiu em 1975, com a criação de uma comissão para estudar uma fundação dedicada à pesquisa de novas matérias primas e formação de mão de obra. Em 1982 foi criado o curso Técnico em Móveis e Esquadrias em parceria com o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e no ano seguinte se estabeleceu um convênio da gestão com a FURJ, atual Univille, para a implantação do primeiro curso superior em administração de empresas em São Bento do Sul. A FETEP também auxiliou a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) na criação e padronização das normas para fabricação de móveis no Brasil, instrumento supraempresarial e fundamental para o desenvolvimento da região no âmbito estadual.   No final dos anos 80, com a recessão econômica e a hiperinflação, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) assumiu o gerenciamento do Centro de Tecnologia do Mobiliário (CTM) e a FETEP iniciou uma nova fase, cedendo seu espaço físico para a instalação da UDESC e SOCIESBS/UNISOCIESC. Anos mais tarde, em 2005 foi implantada a Incubadora Tecnológica, inaugurando-se...

Leia mais

Conheça 7 estratégias para alcançar os resultados desejados

3-maneras-de-hacer-que-el-Marketing-Digital-sea-más-rentable

Alcance os resultados desejados com o uso das 7 estratégias com soluções personalizadas para extrapolar as metas da empresa visando os resultados com uma gestão de excelência. Para orientar neste desafio a AMC Assessoria Empresarial com 23 anos de experiência utiliza metodologias inovadoras, combinando objetividade e simplicidade.   As 7 estratégias para alcançar os resultados desejados são:   Planejamento estratégico: Diagnóstico estratégico e análise de cenários (ambiente interno e externo), metodologia personalizada com definição de objetivos, indicadores e plano de ação para conhecer melhor a si e seus concorrentes. Profissionalização da gestão: Avaliação da estrutura funcional, objetivos e estratégias com aconselhamento dos sócios/administradores. Implementação de conselhos de gestão e acordos de sócios para o alinhamento e controle. Sistemas da Qualidade: Orientação para a elaboração dos procedimentos e documentação, incluindo planejamento de ações para a melhoria da qualidade e obtenção de certificações ISO. Projetos de Melhoria Contínua: Orientação e treinamento para a elaboração de projetos de melhoria contínua viáveis na qualidade e produtividade, sendo mais competitivo no mercado. Orçamento Mix: Simulação da rentabilidade dos produtos e a lucratividade total estimada e real, identificando seus melhores produtos. Mapa Gerencial: Levantamento de dados definindo indicadores de desempenho, com séries estatísticas e gráficas para a tomada de decisão e reuniões produtivas. Análise de Balanço e DRE: Avaliação dinâmica através da organização de indicadores econômicos, financeiros e patrimoniais, incluindo análise gráfica evolutiva das principais contas e respectivas tendências para a tomada de decisões. No Diagnóstico empresarial é efetuado mapeamento da situação atual, apontando soluções para potencializar resultados. Através da missão visamos “oferecer aos clientes soluções personalizadas em gestão empresarial e treinamentos vivenciais, agregando valor através da inovação contínua, sustentabilidade e gestão consciente!” Entre em contato no link...

Leia mais

Desburocratização 8 – Leis da Burocratização

Burocratização 8

A burocratização tem as leis próprias nem sempre escritas, mas eficientes e dominando executivos e gestores. A submissão as leis burocratizantes gera administração ineficiente e formulações “estranhas” travando todo processo de evolução contínua e melhoria de processos. Eis, as principais leis que reforçam paradigmas ultrapassados e dificultam a simplificação: 1) Não criatividade. Transforme sempre o autor de uma ideia em executor da ideia e teremos funcionários “enquadrados”, seguindo normas e “calados” para novas sugestões. 2) Saturação. Cobre do autor de uma ideia novas informações, pesquisas e pareceres até que ele não “aguente mais” e partir daí ele ficará atento exclusivamente nas ordens e padrões estabelecidos, inibindo a criatividade. 3) Pequenos grandes problemas. Para não se envolver em dificuldades, as pessoas tendem a tornar grandes os pequenos problemas. Dramatizam e complicam o processo. 4) Proteção às avessas. O excesso de proteção produz resultados negativos, especialmente a acomodação e a dependência. 5) Acumulação de papeis. Quanto mais papel acumulado maior a impressão de muito trabalho, justificando atrasos e falta de tempo. 6) Queixa permanente. A mania de reclamar para não precisar realizar. Não há recursos, tempo, pessoal e outras tantas razões. O tempo que se passa reclamando, poderia ser utilizado para focar em soluções. 7) Valorização da complexidade. É preciso complicar para valorizar. Parece que somente as coisas complexas tem valor. Simplifiquemos para obtermos produtividade e objetividade. 8) Inércia burocrática. Deixe os outros se movimentarem, assim não se arrisca a tropeços. Ou seja, deixa o “barco correr” ou “deixa ficar para ver como fica”, atrasando e complicando todo o processo. Tenhamos CORAGEM para enfrentar as leis da burocracia e implementar a simplificação da complexificação.   MSc Adelino Denk adelino@amcconsult.com.br 9986...

Leia mais

AMC 23 anos no mercado Soluções Personalizadas e Gestão de Excelência

Aniversário 2016.p

Com soluções personalizadas em gestão empresarial e capacitações, a AMC Assessoria Empresarial completa neste mês de abril 23 anos de história no mercado. Ao longo desta trajetória foi adquirido um extenso conhecimento sobre o mundo empresarial. “Construímos nosso caminho com planejamento e estratégias direcionadas a gestão de excelência, com assessoria personalizada a cada cliente”, destaca o diretor Adelino Denk. A AMC desenvolve assessoria na profissionalização da gestão, em especial de empresas familiares, planejamento estratégico e especialização em gestão estratégica de custos, alavancando resultados nos negócios, complementando ações na área da qualidade e produtividade, capacitação e treinamento. Em 23 anos de atuação, a AMC acumulou experiência em diversos segmentos, como móveis, colchões, vidros, construção, metalúrgico, comércio, prestadoras de serviços e entidades empresariais. Para que a assessoria seja mais abrangente, a AMC mantém parcerias estratégicas em diversas áreas: treinamentos técnicos especializados, coaching, tecnologia da informação, soluções de internet, auditoria e análise financeira. “Acreditamos que é preciso criar sinergia para desenvolver soluções personalizadas, que geram valor e resultados para as empresas”, ressalta Denk.   Experiência   A AMC Assessoria Empresarial iniciou suas atividades em 02 de abril de 1993 por Adelino Denk. No ano seguinte, o administrador passou a atuar com treinamentos na área de gestão e qualidade. Foi instrutor terceirizado do Sebrae, lançando o primeiro Programa Sebrae de Qualidade Total e Santa Catarina. Adelino Denk, mestre em economia industrial, possui ainda uma experiência acumulada como professor de ensino superior, pós-graduação e palestrante. Sua atuação na presidência da ACISBS (Associação Empresarial de São Bento do Sul) e da FETEP (Fundação de Ensino, Tecnologia e Pesquisa) e também na vice-presidência do planalto norte da FACISC (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina) contribuíram para a busca da gestão de excelência.   Áreas de atuação   Gestão estratégica (planejamento e profissionalização) Gestão estratégica de custos Gestão da qualidade e produtividade Capacitação e...

Leia mais

Desburocratização 7 – Mitos Burocratizantes

Burocratização 7

A desburocratização é desafio diante do cenário turbulento, especialmente nas organizações interessadas na melhoria do desempenho e ampliação no atendimento qualificado. Continuamos assim, a análise dos mitos burocratizantes que atrapalham o processo da renovação necessária: 13) Entender que comissões de estudos ou reuniões são infalíveis para obter cooperação. Os burocratas gostam de providenciar comissões para estudar projetos, sendo na maioria das vezes, retardamento do processo e adiamento das decisões. O desafio é assumir responsabilidades e desenvolver soluções com objetividade, evitando a transferência para terceiros quanto as perdas de tempo para elaboração de extensos relatórios de sugestões. Reuniões são necessárias, porém a participação não é estimulada e muitas vezes, há monólogos para comunicar informações que podem ser repassadas no dia a dia. As decisões e ações definidas em reuniões devem ser monitoradas para a efetiva solução, evitando novas reuniões para repetir os mesmos assuntos não resolvidos. O processo exige objetividade e clareza no encaminhamento das questões, o que parece não ser o ponto forte do burocrata, divagando em ideias superficiais e exposições difusas, evitando o enfrentamento e esclarecimento. 14) Acreditar que a informatização ou tecnologia da informação simplifica e desburocratiza. A tecnologia agiliza os processos, porém se as informações forem incompletas, incoerentes, o resultado será muitos relatórios com baixa qualidade para a tomada de decisões. O computador é máquina “burra”, fornecendo informações conforme a entrada de dados. Se os mesmos não estão qualificados, teremos má qualidade nas informações. Na preocupação de agilizar, em determinados momentos a informatização, burocratiza ainda mais o processo, pela frieza, rotinas e na crença, sistemas fornecem informações corretas. Em outros momentos, enquanto o sistema não processar as informações, não há decisão, paralisando tudo. 15) A rotina traz segurança. Burocratas sempre imaginaram que a definição de rotinas e procedimentos com a elaboração de manuais, gera maior segurança. Pelo contrário, a rotina estimula e amplia a insegurança, pois as pessoas não agem fora dos procedimentos, sendo repetitivas. Não...

Leia mais