Entre em contato e 

Tel.: 

E-mail: 

Indicadores antecedentes apontam estabilidade no Brasil

custos

O crescimento econômico da zona do euro deve seguir em ritmo estável nos próximos meses, de acordo com indicadores antecedentes divulgados nesta segunda-feira, 12, pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).   Ainda assim, duas das maiores economias do bloco, Alemanha e Itália, deverão desacelerar, assim como Reino Unido e Rússia, segundo o estudo. Para o Brasil, os resultados sugerem estabilidade. O relatório leva em consideração dados disponibilizados até novembro e mostra que, apesar de manter um ritmo estável de expansão, os membros da zona do euro terão dificuldades pela frente, uma vez que a inflação para o consumidor resiste em níveis considerados baixos demais pelo mercado. No entanto, o resultado é um progresso, já que o relatório anterior indicava desaceleração.   Para os 34 membros da OCDE (que não inclui o Brasil), o índice composto do estudo avançou ligeiramente para 100,5, de 100,4 no mês anterior. Nos Estados Unidos, o índice ficou em 100,4 pelo sexto mês seguido. Resultados em 100,0 sugerem que o país manterá sua tendência de crescimento ou em ritmo compatível com a média das últimas décadas.   O Brasil ficou com 99,3, pelo quarto mês consecutivo. A zona do euro registrou 100,6. Os indicadores antecedentes preveem uma melhora no Japão e na Índia, citando um “momento de mudança positiva” para o primeiro. O segundo deve experimentar uma aceleração do seu crescimento. Para a China, a segunda maior economia do mundo, a projeção é de estabilidade.   Fonte: Revista...

Leia mais