Entre em contato e 

Tel.: 

E-mail: 

Gestão da Inovação 7 – Inovação de Processos

Gestão da inovação 7

A inovação de processos busca a diminuição do tempo de processamento das atividades com rapidez na solução de problemas e redução de custos. O objetivo principal deve ser melhorar a produtividade e qualidade com custos menores, visando clientes satisfeitos. A inovação de processo consiste na busca contínua do aperfeiçoamento nos processos atuais e alternativas com novos processos, promovendo alterações através da utilização de novos conhecimentos visando ampliar a eficiência. A inovação ocorre através de metodologias e técnicas, utilizando equipamentos e softwares para a melhoria dos processos de produção e distribuição. Os novos métodos de produção são obtidos através da utilização de novas tecnologias como a automação. Devem ser aprofundadas as análises da interação equipamentos, tecnologias da informação, uso de softwares e sensores. Novos processos de embalagem e controle de quantidades. Análise de projetos e desenvolvimento de produtos com auxílio de softwares especializados. Controles computadorizados para controle da qualidade e produtividade e monitoramento do processo produtivo. A logística tem cada vez mais auxiliado no controle da distribuição através de computadores ou dispositivos portáteis para controle de produtos e demandas de serviços. Utilização do código de barras na identificação dos produtos com rastreabilidade on line em todos processos com tecnologias de transmissão de dados sem fio. Uso de sistemas de GPS no transporte. Sistemas de fornecimento de tickets facilitando controles de acesso. Uso mais intenso de comunicação automatizada por voz. Análise de rotas e otimização do sistemas de distribuição. Em síntese, o sistema de inovação de processos visa reduzir a complexidade da cadeia de valores entre fornecedores, distribuidores e clientes. É a geração de nova proposta de valor para manter-se competitivo, viabilizando a redução de custos com a ampliação do valor para o cliente, caracterizando a chamada inovação de valor, somente possível, com a inovação nos processos. Se a empresa não fizer a inovação o concorrente estará fazendo, deixando obsoleto a estrutura e gerando a competição somente via preços onde as...

Leia mais

Gestão da Inovação 6 – Inovação Organizacional

Gestão da inovação 6

A inovação organizacional diferencia uma organização da outra, especialmente através da qualidade e produtividade. É através da reorganização de processos e métodos de trabalho que é possível potencializar as inovações com as tecnologias. As alterações permitem mudanças no processo de gestão, modificando a natureza das tomadas de decisões, aplicação dos recursos, definições do processos gerenciais e de responsabilidades, incluindo ainda a sistemática de relacionamentos e avaliação do desempenho de profissionais e grupos. Podemos citar exemplos de inovação organizacional, como: a) identificação das melhores práticas de gestão, formas de acumulação do conhecimento e sua transferência nas diversas áreas; b) monitoramento integrado das diversas áreas estratégicas da organização (produção, marketing, finanças, recursos humanos, estratégia, etc.); c) gerenciamento integrado da cadeia logística, conceitos de produção enxuta e integração com sistemas da qualidade; d) programas de treinamento e ampliação da eficiência através de equipes integradas; e) descentralização dos processos, ampliando responsabilidades e controles dos mesmos; f) ampliar a comunicação em todos os níveis, encorajando o feedback assertivo; g) introdução pela primeira vez de padrões de controle da qualidade para fornecedores; h) integração com universidades e outras organizações de pesquisa para ampliar o desenvolvimento de novos conhecimentos; i) mudanças na estratégia empresarial, implementando mudanças na gestão. A inovação organizacional difere da mudança organizacional, pois há a implementação de métodos completamente novos e que tem como objetivo ampliar o desempenho do empreendimento. Em síntese, há mudanças contínuas de redução de custos com melhorias na qualidade e produtividade, potencializando resultados. Podemos citar como exemplo, o sistema BSC (Balanced Score Card) como ferramenta inovadora para implementar novas estratégias e assim melhorar o desempenho organizacional.   MSc Adelino Denk 47 9986 7214 CRA...

Leia mais

Gestão da Inovação 5 – Inovação Tecnológica

Tecnologia e inovação

Estamos vivendo cada vez mais a Era Digital onde novas tecnologias são incorporadas em todas as atividades, visando facilitar o trabalho e acelerar a tomada de decisões com informações on line. A busca pelo conhecimento era considerado um diferencial nas empresas e para os empreendedores e hoje é condição essencial para se manter no mercado de forma competitiva. Assim, para obter vantagens é necessário acompanhar as tendências tecnológicas e a convergência digital, caracterizada pela integração entre os diversos meios de comunicação. Em todos os ambientes e atividades profissionais, a eletrônica é empregada cada vez mais, como por exemplo, trabalhadores autônomos com agendas eletrônicas e comunicação instantânea de mensagens e imagens. Esta agilidade permite criar vantagens e oferecer serviços diferenciados para quem está atento as mudanças tecnológicas e a acumulação de novos conhecimentos é fundamental neste processo. A aprendizagem cada vez mais está apoiada nas novas tecnologias e os modelos tradicionais tem enfrentado dificuldades para acompanhar a velocidade das mudanças. Há conflitos entre os métodos mais tradicionais e dos métodos instantâneos de transmissão da informação. Os relacionamentos e a própria convivência no ambiente de trabalho sofrem influências cada vez mais intensivas da tecnologia, como por exemplo, o teletrabalho, educação a distância, relacionamentos virtuais, entre outros. No entanto, toda tecnologia é gerada pelos seres humanos e consumido pelos mesmos. Cada vez mais o conhecimento é relevante na sociedade tanto na produção do conhecimento na geração de tecnologias, como na utilização dos produtos e serviços com novas tecnologias. Assim, a inovação tecnológica alavanca mudanças positivas e influência na formação da nova economia baseada no conhecimento. O que exige novos aprendizados e adaptações também exige maior esforço para manter os empregos, pois o trabalhador necessita de conhecimento para evitar a exclusão do mercado de trabalho. É um processo de transformação do homem e da sociedade com oportunidade de evolução, especialmente no aspecto socioeconômico para aqueles que se adaptam e acompanham o fluxo da...

Leia mais

Gestão da Inovação 4 – Tipos de Inovação

P & D

A inovação estreitamente ligada com tecnologias e novos conhecimentos eleva a importância da Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na gestão da inovação. Todos os tipos de inovações exigem pesquisa, visando ampliar o know how e implementação das inovações. As inovações podem ser de diferentes tipos: a) produtos e serviços; b) processos; c) marketing; d) organizacional; e) tecnológica; f) incremental; g) radical. Avaliaremos cada tipo de inovação em maiores detalhes, porém antes é necessário compreender que toda organização deve buscar a inovação como sendo o caminho para a melhoria da qualidade de vida, aumento da troca de informações, desenvolvimento das habilidades dos empreendedores e colaboradores para o uso dos novos conhecimentos e tecnologias. Assim, é necessário quebrar paradigmas e os empreendedores/gestores devem desenvolver características estimuladoras da inovação como a flexibilidade às mudanças, intuição, criatividade, trabalho em equipe e especialmente uso de novas tecnologias. O pensamento crítico e a postura ética são essenciais na avaliação das inovações úteis. A inteligência competitiva exige práticas desde o mapeamento de competências até o estabelecimento de metas, transformando ideias em conhecimento explícito com ações geradoras de resultados. Segundo Peter Drucker, o verdadeiro empreendedor busca continuamente as fontes de inovação, cria as oportunidades e pratica inovação sistematicamente. Portanto, a gestão da inovação exige ambiente inovador onde toda a estrutura organizacional está voltada para lançar novos produtos e serviços com velocidade e maior probabilidade de sucesso. É o desafio constante de obter resultados com o atendimento das necessidades do mercado ao menor custo e a expectativa de qualidade. No ambiente competitivo é indispensável criar e manter um sistema de inovação como estratégica essencial na prática, evitando posturas meramente teóricas. A atitude inovadora exige pesquisa constante, viabilizando a inovação contínua como competência essencial e vital para o desempenho organizacional na sociedade do conhecimento. Nos próximos artigos analisaremos cada tipo de inovação e as contribuições para as organizações inovadoras.       MSc Adelino Denk 47 9986 7214 CRA...

Leia mais

Gestão da Inovação 3 – Redes de Inovação

Redes de inovação

As organizações do conhecimento necessitam tomar decisões rápidas e nem sempre as informações suficientes estão disponíveis. Porém, com o acesso e a facilidade através das tecnologias da informação e comunicação, está cada vez mais fácil a comunicação e cooperação para troca das informações necessárias. Formam-se assim, as redes de inovação, visando ampliar a transmissão de novas informações, gerar conhecimento e aumentar a capacidade inovadora. As redes de inovação são estratégicas e possibilitam o alcance de objetivos para organizar e acumular conhecimento para o processo de inovação, a saber: a) solucionar problemas e facilitar a tomada de decisões nas organizações; b) promover a colaboração entre as empresas para criar e desenvolver novos produtos e serviços; c) monitorar o desenvolvimento tecnológico através de observatórios específicos; d) promover a troca de experiências e compartilhamento de conhecimentos e recursos; e) efetuar o mapeamento de organizações e pessoas com competências inovadoras. Como não temos inovação sem a difusão adequada de conhecimento e tecnologias, algumas etapas devem ser seguidas para o desenvolvimento de redes de inovação e estabelecimento de uma cultura de inovação: a) sensibilizar funcionários das organizações envolvidas; b) efetuar o treinamento dos funcionários das organizações em colaboração; c) definir o funcionamento do processo de gestão da rede; d) integrar as tecnologias de informação e comunicação utilizadas pela rede; e) definir o processo de criação, compartilhamento, disseminação e proteção do conhecimento gerado na rede; f) acompanhar funcionários envolvidos nas redes de inovação. Visando ampliar a competitividade das organizações e formar estratégias diferenciadas num ambiente cada vez mais complexo, há a necessidade de nova lógica organizacional através de empresas em redes, otimizando a combinação de pessoas, tecnologia e conhecimento. O objetivo é difundir o conhecimento sobre o setor de atuação, através de metodologias de inteligência competitiva, ampliando a cooperação na gestão do conhecimento. Não há mais como sobreviver de forma isolada sem estabelecer uma rede ou networks para o alcance dos objetivos empresariais no novo...

Leia mais

Gestão da Inovação 2 – Economia da Inovação

Economia da Inovação

A gestão da inovação e a gestão do conhecimento são fundamentais para a economia da inovação, pois ambas necessitam de conhecimentos, valores, habilidades e atitudes das pessoas para gerar mudanças de valor agregado e com diferencial competitivo. Neste sentido, o desenvolvimento econômico ocorre com a constante transformação e criação de novos processos, o que Schumpeter chama de “destruição criadora”. Ou seja, empreendedores e organizações estão continuamente destruindo o antigo e continuamente criando o novo e isto é o processo de inovação, podendo ocorrer de forma incremental ou de maneira radical, quando o processo de mudança implica em rupturas e quebra de paradigmas existentes. Segundo Shumpeter, os 5 tipos de inovação são: a) introdução de novos produtos; b) introdução de novos métodos de produção: c) abertura de novos mercados; d) desenvolvimento de novas fontes provedoras de matérias primas e outros insumos; e) criação de novas estruturas de mercado. Analisando o comportamento organizacional e as mudanças mercadológicas recentes, percebemos que as transformações nas organizações são cada vez mais rápidas, tornando obsoleto produtos e processos em pouco tempo e reduzindo o ciclo de vida dos produtos. Na Era do Conhecimento e da Informação, os consumidores estão cada vez mais ávidos por novidades e os fatores tradicionais de produção (matéria-prima, mão de obra e capital) não são mais suficientes. Assim, o conhecimento é a nova força motriz da nova economia. O cliente na busca de novas percepções e valores agregados, estimula mudanças nos produtos e serviços, exigindo cada vez mais inovação. No entanto, não se pode banalizar a inovação, pois muitas empresas continuam preocupadas com a redução de custos e seus processos de produção, utilizando a inovação como estratégia de marketing. O processo de inovação é mais complexo e profundo, pois deve-se compreender como o conhecimento é criado, disseminado e acumulado. Ou seja, além do lançamento de novidades, é necessária a visão sistêmica para a inovação, considerando a importância da transferência e difusão...

Leia mais

Página 5 de 20« Primeira...34567...1020...Última »