Entre em contato e 

Tel.: 

E-mail: 

Empreendedorismo 6 – Oportunidades na Internet

Empreendedorismo 6

A internet está em crescimento exponencial e os empreendedores não podem mais desconsiderá-la nas suas estratégias de estruturação de novos negócios e no desenvolvimento das empresas já existentes. O mercado virtual e negócios on line está se consolidado e invade cada vez mais negócios tradicionais. É necessário a reinvenção nos modelos de negócios, exigindo dos empreendedores visão diferenciada na elaboração de estratégias integradas com a internet. Há negócios surgindo e desaparecendo muito rapidamente em função da inovação proporcionada através da internet. Muitas vezes a solução oferecida não é muito diferente das empresas existentes no mercado, porém a forma como o produto ou serviço é comercializado e a interação contínua através de redes sociais e outros mecanismos virtuais, cria um novo espaço e consequentemente diminui o espaço de mercado dos concorrentes estabelecidos. Estamos vivendo numa economia cada vez mais virtual com sistemas de pagamento sem contato entre as pessoas. Nos supermercados já há experiência de recebimentos sem atendentes nos caixas. O próprio cliente efetua o pagamento e empacota a sua mercadoria. Através de códigos é possível realizar compras no ponto de ônibus ou metrô e enquanto a pessoa se desloca, o supermercado entrega a compra na residência. A tecnologia on line permite otimizar os processos e executar tarefas simultaneamente, modificando o modo de viver e consumir. A internet das coisas está se tornando comum e através das tecnologias embarcadas nos eletrodomésticos e móveis, é possível programá-los para efetuar compras, enquanto estamos ausentes do lar. A mobilidade é o grande diferencial, pois podemos efetuar compras através de divulgações que recebemos através das mídias sociais no celular, enquanto se toma o cafezinho. O sistema “big data” acumula informações estratégicas sobre consumo, influenciando na tomada de decisão de produtores e consumidores. Os drones, interligados a sistemas inteligentes, podem realizar pequenas entregas nos domicílios, dispensando serviços de entrega tradicionais que envolvem pessoas. São exemplos das tendências e a inseparabilidade da internet no mundos dos...

Leia mais

Empreendedorismo 5 – Criatividade

Empreendedorismo 5

A criatividade é a base do empreendedor inovador que deseja sucesso e assim a experiência na atividade a ser explorada é de fundamental importância. Sem o conhecimento detalhado do funcionamento do mercado, da concorrência e das expectativas dos clientes, corre-se o risco de desperdiçar a energia nas novas ideias. Para estimular a criatividade e viabilizar a análise posterior das ideias criativas com potencial, a ferramenta ideal é o brainstorming (tempestade de ideias). A técnica permite a geração de ideias livremente sem a análise crítica inicial. A criatividade é estimulada, pois não há restrições a cada ideia levantada, por mais absurda que pareça, pois através da ideia “absurda”, pode ocorrer o insight para novas ideias. E dentre as ideias pode surgir a inovação, gerada pela associação das diversas ideias geradas. Uma ideia estimula outra ideia e somente ao final do processo é efetuada a análise crítica quanto a lógica e viabilidade. A criatividade exige liberdade de pensamento e pensar diferente, fora dos parâmetros tradicionais ou conhecidos. Novos negócios surgem de novas formas de entregar soluções aos clientes, embora o produto seja o mesmo. Além desta metodologia, o empreendedor ainda pode ficar atento e efetuar a pesquisa sistemática através de outros meios: a) conversar com pessoas experientes sobre os mais variados temas, podendo identificar ideias inovadoras para determinados nichos de mercado; b) pesquisar novas patentes e licenciamento de produtos, nas áreas pretendidas; c) Ficar atento aos acontecimentos da sua região e ao comportamento das pessoas, visando identificar novas tendências; d) visitar universidades, institutos de pesquisa, feiras de negócios e tecnológicas, empresas, etc; e) participar de congressos, conferências, palestras e eventos de entidades de classe e associações. Identificadas as ideias, o empreendedor deve selecionar as melhores ideias, utilizando do feeling e avaliação das tendências. Inicia-se então, a avaliação das oportunidades considerando diversos aspectos para identificar e selecionar a melhor. MSc Adelino Denk adelino@amcconsult.com.br 9986 7214 CRA...

Leia mais

Empreendedorismo 4 – Identificando Oportunidades

Empreendedorismo 4

Um dos maiores desafios dos empreendedores é saber diferenciar ideias de oportunidades. Muitas ideias são geradas no dia a dia, porém as oportunidades normalmente são únicas. Ou seja, nem toda ideia se transforma em oportunidade de negócios. Para tanto, é necessário que a ideia seja transformada em produto ou serviço que se diferencie da concorrência e ganhe espaço no mercado. Muitas vezes, o empreendedor lança uma ideia considerada revolucionária, o que é raro, e acredita que está tudo resolvido, inclusive mantendo sigilo sobre a proposta. Ocorre que a ideia isolada e sem testes com clientes potenciais não significa nada ou vale muito pouco. Muitas ideias surgem no dia a dia, porém o que importa é saber desenvolver as ideias e implementá-las, construindo um negócio de sucesso. Assim, identificar as necessidades do mercado e como atendê-las é a prioridade, desenvolvendo então ideias pragmáticas. De nada adianta ter ideias interessantes, porém com a tecnologia ultrapassada. Por exemplo, desenvolver soluções sem conexão com a internet, tendência irreversível no mundo dos negócios. A tecnologia é essencial para a qualidade nos produtos e serviços e a produtividade necessária, que viabilize a entrega de soluções aos clientes com valores agregados e preços que garantam as margens de lucros necessárias a sobrevivência do negócio. A oportunidade se transforma em inovação e viável quando pode ser explorada comercialmente e clientes continuam interessados. Por essa razão, o processo de inovação é estratégico nos negócios e especialmente para empreendedores iniciantes. Criar algo novo com soluções diferenciadas é o que garantirá a sobrevivência do negócio e demonstrará a capacidade do empreendedor de transformar ideias em oportunidades empresariais. Assim, a criatividade é essencial para o sucesso empreendedor, tema do próximo artigo.     MSc Adelino Denk adelino@amcconsult.com.br 9986 7214 CRA 1766...

Leia mais

Empreendedorismo 3 – O Processo Empreendedor

Empreendedorismo 3

 O processo empreendedor inicia-se quando alguns eventos geradores possibilitam o início do novo negócio. Nem sempre há o planejamento e sim a ocorrência de fatores diversos que propiciam o surgimento e o crescimento da nova empresa. Os principais fatores influenciadores do processo inovador são descritos na sequência e podem atuar isoladamente ou em conjunto: a) Fatores pessoais: é a busca da realização pessoal, assumir riscos, cultivar valores pessoais, utilizar a experiência e educação ou conhecimento em determinado assunto, insatisfação com o trabalho ou por ter sido demitido; b) Fatores sociológicos: possui networking, influência dos pais ou da família, referência em pessoas de sucesso; c) Fatores organizacionais: há equipe de profissionais para o projeto, estratégias diferenciadas como oportunidade de crescimento, produtos ou serviços diferenciados, a compreensão da cultura local ou regional; d) Fatores ambientais: há oportunidades a serem exploradas, criatividade para novas explorações, recursos para o desenvolvimento, apoio de incubadoras ou habitats de inovação, políticas públicas de estímulo, clientes, fornecedores e investidores. Todo o processo empreendedor tem como semente a inovação, especialmente a inovação de base tecnológica. O desenvolvimento econômico e a sustentabilidade social dependem de 4 fatores críticos para o sucesso dos negócios, a saber: 1)      Talento empreendedor: pessoas especiais que fazem acontecer, por meio da percepção e dedicação ao trabalho criativo e diferenciado. 2)      Tecnologia e ideias inovadoras: o talento das pessoas somada a tecnologia com ideias viáveis, possibilita o desenvolvimento da inovação. 3)      Capital e recursos: o combustível necessário para tirar as ideias do papel e desenvolver o negócio com o retorno necessário. 4)      Conhecimento – know how: a habilidade necessária para efetuar a convergência no ambiente do negócio entre o talento, a tecnologia e o capital. Em síntese, as ideias necessitam ser transformadas em projetos viáveis e aceitos pelo mercado. A criatividade é essencial no desenvolvimento inovador, porém se não houver a combinação de ideias viáveis com resultados para o novo negócio, a inovação não passa...

Leia mais

EMPREENDEDORISMO 2 – Análise Comparativa entre gerentes tradicionais e empreendedores

Chess Challenge

Uma das principais características do empreendedor de sucesso é a criatividade, porém antes de explorarmos todas as características dos empreendedores, identificamos diversos temas e o foco diferenciado dos mesmos. Segundo Hisrich (1998) apud Dornelas (2001), os principais aspectos de análise são: a) Motivação principal: os gerentes buscam a promoção e recompensas tradicionais e os empreendedores buscam a independência, identificando oportunidades para criar algo novo e com retorno financeiro; b) Referência de tempo: os gerentes pensam no curto prazo, gerenciando orçamentos com horizonte anual e os empreendedores planejam o crescimento do negócio a longo prazo (5 a 10 anos); c) Atividade: os gerentes delegam e supervisionam tarefas e os empreendedores se envolvem diretamente para alcançar os objetivos; d) Status: os gerentes se preocupam com o status e como são vistos na empresa e os empreendedores se preocupam menos com a imagem com maior foco nos resultados; e) Risco: os gerentes são cautelosos com situações de  risco, tendendo não assumi-los e os empreendedores assumem riscos calculados, tendo maior arrojo; f) Falhas e erros: os gerentes tentam evitar erros ou tendem a ocultá-los e os empreendedores aprendem com os erros e falhas, inovando sempre; g) Decisões: os gerentes tendem a concordar com os superiores, enquanto os empreendedores seguem sonhos e tomam decisões com base nos ideais; h) Serviço: os gerentes tendem atender os outros e superiores e os empreendedores estão a serviço dos clientes, suprindo as suas necessidades; i) Histórico familiar: membros da família dos gerentes normalmente trabalham em grandes empresas enquanto nos empreendedores, membros da família possuem pequenas empresas ou desenvolvem outros negócios; j) Relacionamento: para os gerentes a hierarquia é a principal base e para os empreendedores a base do relacionamento são as parcerias e acordos para atingir o principal objetivo do negócio. Assim, os empreendedores são mais criativos, assumem maiores riscos e são mais inovadores. MSc Adelino Denk adelino@amcconsult.com.br 9986 7214 CRA...

Leia mais

Gestão de Excelência – Empreendedorismo (1) – Definições e evolução

Empreendedorismo 1

Ser empreendedor é o desejo de muitas pessoas, porém diante do cenário de recessão econômica passa a ser desafio ainda maior para desenvolver o negócio próprio com sucesso. O termo empreender procede do idioma latim, imprehendere ou impraehendere, “tentar executar uma tarefa”. As palavras empreender e empreendedor surgiram no séc. XVI, porém sem grande repercussão. Em 1828 a palavra ressurgiu para designar o administrador ou produtor teatral. No séc. XIX, o economista francês J.B.Say (1767-1832) através da sua visão inovadora para a época, difundiu e propagou o termo empreendedor, sustentando a tese de “a principal questão no universo empresarial não serem os fatores de produção, mas sim o próprio empreendedor, capaz de aumentar a produção e criar maior riqueza nas organizações”, conforme Mansur. Contrariou assim as ideias de Adam Smith (1723-1790) das quais era seguidor, conforme afirma Drucker. Segundo Schumpeter, “o empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização ou pela exploração de novos recursos materiais”. Conforme Chiavenato o empreendedorismo é inovação através da “prática de criar novos negócios ou revitalizar negócios já existentes”. Outra acepção liga empreendedorismo as ideias (Biagio), ou seja, “executar, pôr em prática ou levar adiante uma ideia, com a intenção de atingir objetivos e resultados”. Há ainda a definição de Kirzner identificando o empreendedor como aquele que cria o equilíbrio, encontrando uma posição clara e positiva em um ambiente de caos e turbulência, ou seja, identifica oportunidades na ordem presente. Assim, podemos afirmar, a necessidade de empreendedores cada vez mais criativos, com caraterísticas diferenciadas para o sucesso, cujos temas serão analisados nos próximos artigos: a) Ser visionário; b) Tomar decisões; c) Fazer a diferença; d) Explorar as oportunidades; e) Ser determinado e dinâmico; f) Ser dedicado; g) Ser otimista; h) Ser independente construindo o próprio destino; i) Ser líder e formador de equipes; j) Ter boa rede de relacionamentos;...

Leia mais

Página 3 de 2012345...1020...Última »